Termina em : d h m s  |
Aproveita até 40% de desconto em produtos selecionados    |   Código: FERIAS22   |   De 04/07 a 30/09   |   APROVEITA JÁ
Estado de encomenda  |   Login  |   Registo

Dreambooks
Inspira-te com o

Blog Dreambooks

10 Dicas para Fotografar Animais de Estimação

dicas para fotografar animais de estimação

Quem tem animais de estimação sabe bem o que é ter alguém na sua vida que lhe roubou o coração, o melhor spot do sofá, a cama e milhares de espaço livre no telemóvel porque não conseguimos parar de os fotografar. O problema é que, muitas vezes, grande parte dessas fotos são desfocadas, arrastadas ou fora de contexto. Parece difícil mas conseguir fotografá-los pode também ser mais fácil até porque, muitas das vezes, já temos os conhecimentos. Só precisamos saber aplicar...

1 - Santa Paciência

Santa Paciência

Quando queremos tirar fotografias dos nossos patudos a palavra-chave é “Paciência”. É necessário ser paciente e saber esperar pelos momentos ideais e propícios para os fotografar. O seu tempo de concentração é muito diferente do nosso e tudo pode mudar rapidamente. Enquanto um ser humano consegue estar uma grande quantidade de tempo a ser fotografado sem intervalos, os animais têm momentos de concentração mais curtos além de um comportamento imprevisível. É necessário saber esperar e dar-lhes todos os momentos que necessitam para se recompor porque quem espera sempre alcança... ou neste caso fotografa.

2 - De Borla? Nem pensar!

De Borla? Nem pensar!

Ninguém trabalha de graça e modelos que se prezem exigem o seu cachet. Os nossos animais podem dar-nos as fotos mais incríveis mas exigem ser recompensados pelo seu esforço por isso é necessário ter sempre à mão petiscos para lhes irmos dando à medida que posam para que continuem focados e interessados no que estão a fazer. Bolinhas da sua ração ou até um pouco de fiambre podem dar-nos a foto da nossa vida.

3 - Super modelos até a dormir

Super modelos até a dormir

Se estivermos atentos todos os momentos podem dar-nos aquela fotografia super fofinha e mágica. A hora da sesta é uma ótima oportunidade para os apanhar mais quietos e conseguir tirar fotos de detalhes como as suas patinhas, o seu focinho, a forma como aninham o focinho no meio das patinhas e até mesmo das suas poses, muitas vezes estranhas, em que adormecem. Quem nunca tirou uma foto do seu patudo que mais parecia uma forma muito estranha de Yoga?

4 - O poder da surpresa

O poder da surpresa

A curiosidade pode dar-nos expressões únicas que merecem ser fotografadas. Estimular-lhes essa curiosidade pode dar-nos expressões divertidas e únicas. Bater numa superfície, assobiar, (tentar) uivar ou utilizar brinquedos que emitam sons pode ser o suficiente para que nos ofereçam expressões únicas e até mesmo aquele inclinar da cabeça (head tilt) que tanto nos derrete.

5 - O que dizem os teus olhos?

O que dizem os teus olhos?

Devemos sempre colocar a nossa atenção nos olhos deles pois é o contacto visual que nos permite estabelecer uma conexão e ligação visual. Tirar as fotos de cima para baixo pode até ser mais comodo para nós mas após algumas tentativas parece que o nosso cão ou gato foi fotografado por um drone. Devemos deixar de lado a nossa preguiça, o nosso medo de sujar a roupa e colocar mãos à obra: Colocar-nos ao nível deles permite fotos mais intensas, realistas e muito mais interessantes por isso temos de nos baixar, dobrar, ajoelhar ou até mesmo deitar no chão porque sem esforço não há recompensa... e eles sentir-se-ão mais conectados connosco, com a máquina e, muito provavelmente, virão encher-nos de beijos no final.

6 - Posar como vieram ao mundo?

Posar como vieram ao mundo?

Não há nada mais apelativo do que uma fotografia cheia de alegria, espontaneidade e naturalidade. Muitas das vezes não conseguimos essas expressões porque estão com trela, peitoral ou coleira o que os deixa sempre mais apreensivos ou a pensar que vão sair comprometendo a sua concentração. Sempre que possível devemos libertá-los de tudo isso. Se for em casa estarão mais à vontade para se movimentar sem marcas no pelo e se for no exterior temos apenas de ter cuidado para que seja num local controlado, que eles conheçam para que estejam mais calmos e sem nada que lhes aguce a curiosidade e os distraia da verdadeira missão que têm em mãos: ser o melhor modelo fotográfico do mundo.

7 - Génios e Loucos

Génios e Loucos

Não existem limites para criar retratos fantásticos com os nossos patudos. Desde que o nosso melhor amigo esteja disposto podemos utilizar toda a nossa criatividade para construir retratos únicos com muitos dos utensílios que temos em casa. Cortinados coloridos fazem fundos divertidos, óculos de sol podem trazer-lhe mais estilo, bolinhas de sabão podem dar-nos olhares mais curiosos e até mesmo aqueles rolos de papel de embrulho que guardamos em casa podem dar-nos texturas diferentes para criar retratos. O limite aqui é mesmo a nossa imaginação... e a paciência deles.

8 - Aproveitar a prata da casa

Aproveitar a prata da casa

Todos tentamos ensinar aos nossos patudos os comandos básicos para que os consigamos controlar melhor, proteger e facilitar o nosso dia-a-dia... Na fotografia esses comandos podem significar ouro para a pose pela qual ansiamos. “Senta”, Fica”, “Dá a Pata” podem ser o nosso melhor aliado.

Utilizar também os seus brinquedos para lhes chamar a atenção ou até inclui-los nas composições pode ajudar a manter o patudo mais calmo e estático.

9 - Baterias a meio gás

Baterias a meio gás

A energia que os patudos têm pode ser o maior causador de fotos desfocadas e longe do que pensámos. Antes de fotografar devemos sempre ajudá-los a gastar parte da energia para que estejam mais calmos. Um passeio antes de fotografar pode cansá-lo um pouco e ajudar a que fique mais estático. Se o passeio não tiver sido suficiente mais uns minutos de brincadeira podem ser o suficiente para o acalmar. Nunca esquecer, no entanto, de lhes dar água e pausas para descansar entre alguns disparos senão começam a ficar ofegantes e todas as fotos serão a exibir a sua vasta língua e ar de cansado.

10 - Faça-se Luz

Faça-se Luz

A Luz é o nosso maior aliado mas devemos conseguir encontrar o balanço perfeito entre ela o nosso modelo de quatro patas. Se for para fotografar em casa devemos procurar locais com boa iluminação como por exemplo, perto de janelas ou onde a luz seja mais abundante sem que seja demasiado forte para evitar olhos semicerrados e exposições muito grandes. No exterior seja no nosso jardim, quintal ou tenhamos aquele sítio secreto que sabemos que nos irá dar fotografias fantásticas devemos ter em conta a altura do dia sendo logo cedo pela manhã ou mais ao final da tarde as preferidas porque evitamos as luzes fortes e quentes do meio dia além de ser mais fresco para eles poderem usufruir sem ficarem ofegantes.

No final o estrelato

No final de tudo isto temos fotos lindas dos nossos patudos para poder mostrar aos nossos amigos, fazer telas e posters para embelezar a nossa casa, oferecer álbuns deles a quem mais gostamos e não precisamos de fazer scrolls infinitos no telemóvel à procura de uma foto boa no meio de milhares desfocadas.

Outros Artigos

Adotar é um gesto de amor

O que os nossos clientes dizem sobre nós

A confiança dos nossos clientes nos nossos serviços

Para se inspirar, siga a gente nas redes sociais